quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

Meu coração nunca foi lugar de conversar com Deus. O silêncio sim. Mas sempre quando estou quieta de olhos fechados, vejo uma lanterna passando pela superfície do corpo de uma mulher. E ali começamos a conversar: eu, Ele, o suor, a textura e as vergonhas.

Um comentário:

Luiza Christov disse...

genial!

te amo